“Negro” e “Racializado”?

Compreensão dos termos Negro e Racializado

 

Quando falamos aqui e em nosso trabalho do «negro», «branco» e «racializado», nunca nos referimos a propriedades biológicas de indivíduos ou de grupos de pessoas. Esses grupos homogeneizados nunca existiram e continuam não existindo nos tempos de hoje. No entanto, supostas semelhanças são produzidas, e isso se deve à desigualdade social que privilegia algumas pessoas (grupos) e desfavorece outras. Com o «negro», «branco» e «racializado» nos referimos então à oportunidades de participação social, política, jurídica e etc. ou seja, divisões em um sistema racista que distribuem de forma injusta recursos e acesso e que transforma certas formas de diversidade em desigualdade social. São as experiências coletivas de exclusão da educação, trabalho, moradia e outros bens sociais importantes, que levam a semelhanças na disputa por direitos iguais. Uma visão geral do uso político desses pontos de vista pode ser encontrada nos seguintes textos:

 

Noah Sow: https://www.noahsow.de/blog/deutschland-schwarz-weiss-2018

 

Kien Nghi Ha: http://www.migrazine.at/artikel/people-color-als-solidarisches-b-ndnis

 

Koray Yılmaz-Günay: Mehr als ein Vorurteil – Rassismus als gesellschaftliches Verhältnis https://www.idz-jena.de/wsddet/mehr-als-ein-vorurteil-rassismus-als-gesellschaftliches-verhaeltnis-1/